Compartilhar:

Mapa

Fotos

Horário de atendimento

Fechado
Dom: 11:00 às 20:00 Ter à Sáb: 11:00 às 20:00

Avaliações

Avalie este local

  • Prof. Particular De Música - Guitarra E Violão Popular - Bela Vista SP
    Incrível espaço! Visita recomendadíssima!
  • Vinícius De Oliveira Lima
    O Instituto Tomie Ohtake é um ótimo lugar pra quem gosta de arte. O instituto fica localizado na Rua Coropés em Pinheiros na Zona Oeste de São Paulo. O espaço recebe exposições de arte contemporânea, o ambiente do instituto Tomie Ohtake é bem limpo e tem um design bem futurístico, o espaço é muito amplo. O instituto também possui sete salas de exposições, uma sala abriga o setor educativo, outra abriga a livraria Gaudi, uma outra abriga a loja de objetos IT, sala de seminários e não me lembro muito das outras, mas o local tem restaurante e café. O único Instituto de exposição que eu conhecia até conhecer o Tomie Ohtake é o MASP, muito conhecido também pelas exposições de arte. O tomie Ohtake também é bem parecido mas abriga outros tipos de arte também, não entendo muito a diferença mas as exposições não são iguais. Pra quem tem curiosidade em conhecer vale muito a pena! Lembrando que a entrada é gratuita.
  • Ronaldo Marques
    De cara a arquitetura já impressiona com cores marcantes e formas esculturais. O Instituto Tomie Otake conta com sete salas de exposições, livraria e loja. Os espaços são dedicados a exposições, ateliês, palestras, documentação e serviços. A localização é ótima, na avenida Faria Lima, bem próximo à estação de metrô da linha amarela. Além dos diversos eventos artísticos e culturais que sedia anualmente, o Instituto reúne acervo com algumas das mais importantes peças de artistas plásticos dos últimos 50 anos. A última exposição que visitei, do Salvador Dalí, gerou filas gigantescas, que chegaram a dobrar o quarteirão. Precisei esperar mais de duas horas para retirar a entrada. Mas valeu muita a pena. A exposição estava bem organizada. O Instituto é limpo, bem sinalizado e os funcionários são super prestativos. Depois da exposição ainda aproveitei para lanchar no Grande Hall, espaço dentro do Instituto que oferece café e restaurante. O único ponto negativo foi a espera na fila mesmo, que ao mesmo tempo é positivo, pois mostra que os brasileiros estão valorizando mais a arte.
  • Laís Barros Freitas
    O Instituto Tomie Ohtake fica próximo da estação Faria Lima de metrô, e incentiva a cultura e arte com diversas exposições e eventos. O espaço do prédio é bem amplo, ideal para sua proposta. Com pátios e corredores largos nos dois primeiros pisos, possui sete salas dedicadas a exposições e intervenções artísticas (incluindo apresentações em vídeo, instalações e esculturas). Possui também um setor educativo, quatro ateliês, área para seminários, área de documentação e um grande pátio onde há o restaurante Santinho, uma livraria e uma loja de objetos e vestuário diferenciados. Recentemente fui nas exposições Obssessão Infinita e Salvador Dalí, e pude observar a organização deles, que é ótima. Recomendo que você escolha um bom horário para ir para não pegar muita fila, quando for visitar alguma exposição, assim seu aproveitamento será maior e melhor. Vale muito a visita!
  • Priscila Bulbarelli Ferreira
    O Instituto Tomie Ohtake está localizado a um pequena caminhada da estação Faria Lima do Metrô, fica próximo às tão famosas ruas Pedroso de Moraes e Teodoro Sampaio. Leva esse nome devido a artista que o idealizou Tomie Ohtake, famosa artista plástica japonesa que imigrou para o Brasil há muitos anos. O instituto possui um espaço muito grande para exposições temporárias, além de um prédio dedicado a cultura e artes, que oferece workshops e possui um bom acervo de obras. Já recebeu inúmeras exposições de artistas importantes como da japonesa Yayoi Kusama (Obsessão Infinita) e recentemente do artista francês Salvador Dalí. As exposições do Tomie são sempre bem educativas e interativas, possuindo algumas salas com exibições de vídeo e outras mídias, o que torna a exposição mais interessante ao público leigo. Em seu espaço possui banheiros bem limpos, bebedouros, uma livraria, uma loja de roupas e acessórios exclusivos e uma cafeteria, é possível passar uma tarde inteira lá sem se cansar. Outro ponto importante é que o Instituto sempre oferece exposições gratuitas abertas ao público em geral. Basta chegar cedo, pois sempre há bastante fila. Mais que recomendo esse instituto cultural.
  • Maria Paula
    Como um bom estudante de Arte, tive que comparecer ao local e aprender mais um pouco... O Instituto Tomie Ohtake tem como objetivo apresentar as novas tendências e inovações da arte nacional e internacional. E também conta com uma apresentação daquelas que foram e ainda são referências nas últimas décadas. O nome do local é uma homenagem a artista plástica Tomie Ohtake. O Instituto foi inaugurado em novembro de dois mil e um, e o local é medido aí por volta de uma área total de 7.500m2. O local conta com exposições, distribuídas em sete salas. As salas são compostas em dois grandes pisos, sendo um o piso educativo, onde tem alguns ateliês. O instituto também tem um espaço onde acontece os seminários para os estudantes de Arte, como eu. O Instituto Tomie Ohtake foi criado em um complexo empresarial privado, construído pelo Grupo Aché. O local também com alguns lazeres, como um restaurante, uma livraria e uma loja de objetos. Eu recomendo!
  • Fernanda Queija Gonçalves
    Conheci o Tomie Ohtake na exposição do Salvador Dali e amei. O prédio é muito legal, bem moderno, com traços futuristas. Projetado por Ruy Ohtake, filho da artista que dá nome ao lugar, pensado para abrigar as obras do pai. O museu sempre abriga exposições muito legais. Achei a exposição do Salvador Dali bem legal, mas o espaço muito pequeno. Não sei se é o mesmo espaço para todas as exposições. A parte de comunicação visual também é boa e tudo é muito bem indicado. Os ingressos são gratuitos. Não peguei fila grande para a exposição do Dali, mas cheguei bem cedo, antes da abertura da segunda sessão. O local tem espaço para deficientes e estacionamento pago, com vallet. O espaço tem um restaurante chamado Santinho, da chef Morena Leite, que só ouvi boas recomendações. O museu fica pertinho da Estação Pinheiros do metrô e trem e também tem fácil acesso de carro.
  • Cecilia Moreira
    Destino turístico em São Paulo e de fácil acesso em Pinheiros perto do Largo da Batata o Instituto é exemplo de organização e limpeça. Fui ver a amostra de Dali, eles dividiram a amostra em horários de visita para evitar aglomerações. Chegamos com tempo pegamos a senha parao horário escolhido e fizemos a fila bem organizada. Uma vez dentro existia uma nova divisão, e uma chapelaria para poder deixar os pertences de maio tamanho. De novo as pessoas que estavam tomando conta da organização foram muito atenciosas e pacientes até para explicar o funcionamento do instituto. É muito importante ter pessoas deste tipo el lugares aonde o volume de público é muito grande. A amostra do Dali era pequena, deu para ter uma visão das obras dele. Mas é bem díficil aproveitar o momento com a quantidade de pessoas que a visitam. Mesmo sendo controlado fica uma experiência muito hermética você continua andando pelo fluxo de pessoas.
  • Daniela Santos
    A poucos metros do metrô Faria Lima, no bairro de Pinheiros o Instituto Tomie Ohtake é uma referência em arte moderna e contemporânea em toda a América Latina. Instalado num imponente prédio (mantido pelo laboratório Ache) de arquitetura bem contemporânea ¿ e, por que não, dizer futurista? - o Instituto abriga em seu acervo importantes peças de artistas Plásticos dos últimos 50 anos, inclusive o da artista que empresta seu nome ao Instituto; além de receber anualmente, importantes exposições de artistas do mundo inteiro. É comum ver a pacata rua onde está instalado, movimentada por filas imensas quando acontecem exposições como a atual ¿Salvador Dalí¿ e embora, seja muito grande, em ocasiões como essa fica muito lotado, especialmente aos fins de semana. Conta com uma boa infraestrutura possuindo 4 galerias de arte, salas para cursos, local para exibição de material audiovisual, livraria e restaurante. Recomendo que a visita seja feita durante a semana, pois é mais tranquilo. Não abre às segundas-feiras e nos outros dias funciona das 11:00 às 20:00 sempre com entrada franca.
  • Ully Karina D'Ávila
    O Instituto Tomie Othake é uma jóia da arquitetura, a concepção do local é fantástica, ao descer as ecadas da entrada, a área destinada para as exposições é ampla, bem dividida, bem iluminada, muito limpa, tem o piso nferio e o piso superior, na parte de baixo conta com uma livraria do instituto, com um bom acervo, além de algumas esculturas e produtos de papelaria, e tembém com um restaurante bistrô, super charmoso chamado Santinho, representado pela chef Morena Leite. Ao mesmo tempo que o espaço é moderno e colorido ele é contido, um alegre mieo sério, entende. Possui fácil acesso, tem estacionamento no local, as esxposições são sempre muito interessantes, e agora incorporou um teatro Cefip, com ótimas peças também. Do lado da livraria tem uma outra lojinha chamada It, com roupas e acessórios bem transados. Está em cartaz a exposição do Salvador Dali. Tem que ver é maravilhosa.

Baixe o aplicativo do Apontador e encontre os locais que você procura com rapidez.